Alavanca e pontes

Fala galera, bele?

Bom já falamos um pouco sobre as pontes fixas, deixamos algumas de fora afinal existem muitos modelos. E é claro que não poderíamos deixar de falar das pontes moveis, tremolo, vibratos e pontes flutuantes.

Como os nomes sugerem tem ai um amplo assunto, que não iremos abordar em um post só então assine o blog para não perder as outras partes deste post.

Mas na verdade o que é uma ponte flutuante, ou semi flutuante?

Uma variedade de sistemas mecânicos de vibrato para guitarra comeram a ser desenvolvidos na década de 1930.

Eles são usados para adicionar o efeito de vibrato ao som, alterando a tensão das cordas, geralmente na ponte ou no cordal, onde se prende as bolinhas da corda de uma guitarra elétrica com uma alavanca de controle que por muito é chamada de  whammy bar, vibrato braço / bar, ou tremolo arm / bar .

A alavanca permite ao musico variar rapidamente a tensão e às vezes o comprimento das cordas temporariamente para desta alterar o tom e assim criar um efeito de vibrato, portamento ou pitch bend.

Kaufmann Vibrola

Uma das primeiras unidades de vibrato mecânicos foi a Vibrola, inventado por Doc Kaufmann e patenteado em 1935.

Sua Vibrola foi oferecida pela primeira vez ao público pela  Epiphone como uma opção em algumas guitarras semi-acústica, de 1935 a 1937 Epiphone vendeu o Vibrola como uma opção de reposição também.

Esta Vibrola também foi usado em algumas guitarras lap steel Rickenbacker em torno do mesmo tempo e foi introduzida em suas guitarras de 6 cordas.

Não se pode dizer que esta se enquadra no patamar das pontes flutuantes, afinal ela não funcionava para os dois lados, e sim apenas para o dive bomb.

Alavanca

Alavanca Vibrola  Kaufmann

Alavanca

Alavanca Vibrola Kaufmann em uma Rickenbaker Spanish Guitar

Bigsby

A alavanca Bigsby foi o primeiro vibrato bem sucedido, pelo menos comercialmente,  na maioria das vezes chamado apenas de Bigsby, e inventado por Paul Bigsby. A data exata de sua primeira disponibilidade é incerto.

O mais bacanas desta ponte é o fato de ser um dos poucos projetos cujo mecanismo é totalmente instalado no top da guitarra, tornando-se o único projeto particularmente adequado para guitarras acústicas e semi-acústicas.

Mesmo não sendo uma ponte flutuante, pelo menos tão flutuante quanto uma Floyd, a Bigsby pode ser uma ótima pedida se você quer uma alavanca com funcionamento sutil.

Muitas pessoas reclamam que ela não afina tão bem, porem sabendo usar as tecnologias que temos disponíveis hoje no mercado estes problemas podem ser minimizados, usando elas juntamente com uma ponte Tune o matic com rolamento e um roller nut você minimiza muito os problemas de afinação por conta do atrito excessivo

Alavanca

Alavanca Bigsby instalada em uma telecaster

Alavanca

Alavanca Bigsby

Gibson Vibrola ou Maestro vibrola

Desde o início da década de 1960 a Gibson  uma série de projetos de sistemas de vibrato com o nome de ” Vibrola ” . Na década de 1950 Gibson oferecia tanto a Gibson Vibra -Rest ou uma opção Bigsby em forma de guitarra .

Alguns dos projetos Vibrola incluem uma versão licenciada do vibrato Bigsby , versão anterior do Maestro Vibrola, e vários projetos internos Gibson, que nunca chegaram ao mercado.

A Gibson Vibrato , um dos sistemas de vibrato mais antigos da Gibson, foi lançado em 1962 em alguns modelos de SG.

Este mecanismo mais tarde ficou conhecido como o vibrato lado-a- lado (ou Sideways Vibrola ) por causa da posição da alavanca , que saia a partir do lado do stoptail .

Esta alavanca restringe o movimento para cima e para baixo em um plano próximo ao das cordas, de modo que sua ação era diferente das alavancas da Bigsby, e continua assim até hoje.

Também foi descrito como a ” Gibson Vibrola “nome este que pode ser aplicado a qualquer uma dos ponte de vibrato Gibson . Não foi um sucesso e é de interesse principalmente para os historiadores e colecionadores.

Esta ponte foi muito usada tanto nos modelos Flying v quanto nos modelo Sg da marca.

Alavanca

Alavanca Gibson Vibrola também conhecida como Maestro Vibrola

Alavanca

Alavanca Maestro Vibrola

Fender syncronized

Após a Bigsby, o próximo grande desenvolvimento foi tremolo sincronizado de Leo Fender.

Lançado pela primeira vez em 1954 na primeira Stratocaster Fender, a guitarra mais icónica do planeta, com design simples, mas eficaz, oferece uma gama maior de mudança de tom do que o Bigsby.

A denominação dada por Fender a esta alavanca é um tanto quanto confusa, alavanca tremolo em vez de um alavanca vibrato, afinal o efeito produzido é de vibrado e não tremolo.

E curiosamente ele usava em seus amplificadores o termo “vibrato” para se referir os efeito de tremolo.

A base da syncronized é um conjunto rígido que incorpora tanto a ponte quanto cordal. No desenho original, isto foi baseado no princípio do equilíbrio “aresta da faca”.

Também conhecida como “tremolo vintage” da Fender esta ponte oferece uma gama muito superior de ajustes com relação a todas as outras já citadas, pois alem de oferecer todas os ajustes necessários como ação de cordas individual e comprimento de cordas individual também permite que possa ser regulada para usar a alavanca para ambos os lados, esticando ou afrouxando a corda.

O tremolo trazido para o mundo pelo Fender não mudou somente como se tocava guitarra naquela época mas também trouxe junto uma serie de exploradores tanto da musica quanto da parte mecânica das guitarras e quase obrigou a outras empresas a terem boas idéas se não quisessem ficar para trás.

Muitos guitarristas cultuados até hoje encontraram nesta ponte um ponto de conforto jamais visto até então em outra alavanca. E por isto que se você quiser usar alavanca sem se preocupar muito com a afinação do instrumento após uma bela alavancada este é tipo de ponte com alavanca que você deve procurar.

Alavanca

Alavanca Syncronized Fender

Alavanca

Fender 1964 com alavanca syncronized

Bom galera esta foi a primeira parte deste post, não percam as próximas partes pois vem bastante coisa por ai.

Inté!