Neste artigo iremos falar um pouco sobre uma grande discussão que rola entre os guitarristas,  Captadores ativos vs captadores passivos.

Captadores ativos vs captadores passivos

A maioria dos guitarristas estão familiarizados com captadores passivos, o projeto de captação original que envolve milhares de voltas de fio de cobre que podem produzir timbres que vão do jazz ao rock.

No entanto existe outros tecnologias que muitos guitarristas amam ou odeiam, por qualquer motivo que seja.

E é claro que estamos falando dos captadores ativos, sim aqueles que uma bateria de 9V se faz necessária e que sempre vai te deixa na mão quando você menos espera.

Ao contrário da crença popular captadores ativos não foram projetados especificamente para guitarras com caveiras desenhadas e sangue escorrendo pela escala.

Principais vantagens dos captadores ativos

Muitas pessoas não sabem mas a saída de um captador ativo é baixa, diferente do a crença popular diz, de que este tipo de captador  só serve para tocar metal.

Porém este tipo de captador não é nada se ele não tiver um pré amplificador, isto sim é alimentado pela tal bateria de 9V e não o captador em si,que servirá para aumentar sua saída / sinal.

Os campos magnéticos em torno de um captador passivo tradicional são bastante elevados o que pode resultar no tracionamento das cordas e que podem afetar negativamente o sustain da guitarra.

Já os captadores ativos são projetados com ímãs mais fracos e isto permite que a corda vibre por muito mais tempo, e possibilitando assim um pouco mais de sustain na guitarra ou baixo.

E aqueles harmônicos irritantes que aparecem do nada, em alguns captadores passivos podem deixar de ser um problema.

Você já deve ter reparado em seus captadores que quando você fecha o knob de volume o timbre muda ne? Os captadores ativos são praticamente imunes a este problema, um problema pelo menos para alguns.

Como indicado pelo site da EMG, referencia em captadores ativos,  ao contrário do sistema passivo de volume e tonalidade o sistema da EMG de baixa impedância permite que você abaixe o volume do instrumento sem afetar o timbre.

Captadores ativos vs captadores passivos

Set de captdores ativos EMG para telecaster.

Captadores ativos vs captadores passivos

Seymor Duncan Blackout AHB-1

 

Baixa impedância é um dos motivos pelos quais captadores ativos se utilização de potenciômetros com resistência bem menor do que o que estamos acostumados.

Uma guitarra com humbucker tradicionalmente usa potenciômetros com 500K ohm de resistência enquanto guitarras com single costumam usar potenciômetro com 250k ohm.

Já guitarras com captadores ativos vão precisar de potenciômetros com uma resistência bem mais baixa, apenas 25k ohm.

Uma outra grande vantagem dos captadores ativos é o baixo nível de ruído, isto devido a sua construção e ao seu pré amplificador, o que pode ser uma ótima pedida para aqueles que tem sofrido com aquele zumbido irritante enquanto toca.

Já notou como os baixistas parecem abraçar captadores ativos mais de guitarristas?

Isto deve acontecer pelo fato de que este tipo de captador ter menos ruído e é clara deixar mais evidente o que todos querem ouvir, o som do instrumento.

De fato captadores ativos não recebem a mesma quantidade de voltas de fio em sua bobina logo são capazes de produzir menos saída e som um pouco mais aberto, diferente dos captadores passivos.

Mas já que precisamos de um pré amplificar para tornar tudo utilizável pode-se melhorar toda uma gama de frequências que são amplificadas e serem enviadas ao amplificador sem produzir distorção.

Som com grave, médio e agudo e sem distorção, um sonho para qualquer baixista.

E como dito antes, este tipo de captador não serve apenas para tocar metal.

Veja por exemplo David Gilmour, que por algum tempo usou captadores ativos da marca EMG. Podemos dizer que o que ele toca não é metal né.

E por que seja que o cara gostou, bom a resposta ta no texto acima!

Mas é claro que os captadores ativos ficarão famosos por conta dos guitarrista que tocam metal, ou coisas do gênero, isto também devido aos fatores acima.

Imagina você poder colocar toneladas de distorção no seu amplificar e ainda ter um timbre que não soa embolado ou tocar milhões de notas por segundo e conseguir ouvir quase todas.

Captadores ativos tem menos ruído. Fato.

Diferença de construção

O clássico da EMG 81 usa um ímã cerâmico para fornecer todas aquelas pontas e som agressivos, independentemente de quão sujo seja o sinal.

No entanto outros projetos, como os ímãs EMG 85 usam Alnico V, pelas mesmas razões que os captadores vintage, ou seja, buscam um timbre mais quente e aveludado.

Já outro grande fabricante de captadores, tanto passivos quanto ativos, a Seymour Duncan, buscar igualar a frequência de ressonância em alguns de seus modelos ativos.

Usando como referencia modelos de seus próprios captadores passivos já consagrados para assim ter o melhor dos dois mundos .

Os melhores exemplos são os Blackouts ABH-1 que usam como molde sonoro os clássicos JB e 59.

Trocando em miúdos

Um captador ativo é alimentado por uma bateria separada armazenada na guitarra permitindo assim maior saída e um melhor equilíbrio das frequências.

Muitos artistas que estão à procura de um som consistente, como no metal, usam captadores ativos para atingir um timbre mais poderoso e consistente, sem comprometer a qualidade.

Artistas como Kirk Hammett e Kerry King usam captadores ativos para empurrar seus amplificadores perto do limite e ainda manter a clareza e qualidade em seu som.

Um dos pontos negativos é  a necessidade de substituir a baterias corriqueiramente quando ele vai arriando, pois com uma bateria fraca o som fica estéril e mudo.

Mesmo que com sua eletrônica um pouco mais complicada, e que é bem mais fiel a como foi concebido pelo fabricante, um captador ativo não tem a capacidade de excluir a madeira na qual seu instrumento foi construído.

Um corpo de alder com um braço de maple sempre vai produzir um timbre mais aberto e percussivo do que uma guitarra com corpo em mogno de braço em mogno por exemplo.

Veja mais sobre madeiras aqui.

Captadores passivos

Historicamente captadores passivos foram os primeiros a serem feitos, e são os mais populares mesmo hoje em dia.

Não importa qual estilo musical você toque sempre irá existir um ótimo captadores passivos para suprir suas necessidades, do jazz ao metal

Captadores passivos ja vem instalados de fabrica na esmagadora maioria das guitarra, não importa de é um Les Paul ou Strato.

Estes captadores consistem de uma bobina de fio de cobre (e alguns de prata) e um ímã. Muito simples eletronicamente porem os materiais utilizados podem ter um enorme impacto sobre o timbre.

Coisas como numero de voltas de fio de cobre na bobina, tipo de imã e quantidade de bobinas trabalhando são os alicerces para construção de um bom captador passivo.

Alterando qualquer um deste elementos o timbre final pode mudar drasticamente. Por este motivo o catálogo de alguns fabricantes, Seymour Duncan e Dimarzio por exemplo, é tão extenso.

Captadores ativos vs captadores passivos

Construção de um captador Humbucker

 

A função de um captador passivo é enviar diretamente o sinal de suas cordas para o amplificador. Mais é lógico que tudo isto é um pouco mais complicado do que parece.

Captadores passivos tendem a preservar um pouco mais como a corda vibra, deixando assim o timbre um pouco mais orgânico.

Muitos artistas preferem captadores passivos por ter um som mais “respirável” quando espetado no amplificador, assim qualquer mudança no botão de volume por exemplo pode gerar uma bela mudança no timbre geral sem precisar mexer no knob de ganho ou agudo do amplificador.

 

Captadores ativos vs captadores passivos

Seymour Duncan Antiquity

 

Captadores ativos vs captadores passivos

Seymour Duncan Antiquity surfer

 

Como sempre nem tudo na vida é vantagem e os captadores passivos também tem as suas.

Captadores singles de telecaster ou strato são ótimos para alguns estilos musicais, desde que você se acostume com o ruído que eles tem, indiscutivelmente.

Muitos músicos optam por adaptações neste captadores para tentar diminuir tal ruído, blindando o instrumento, melhorando os aterramento do instrumento ou até mesmo substituindo os mesmos por versão que tenham um nível menor de ruído.

Captadores passivos tem mais ruído. Fato.

Captadores passivos e o ganho

Umas coisa que muitos artistas reclamar dos captadores passivos é em relação ao ganho vs equilibro entre as frequências.

Bom isto é um fato. Para ter um captador com um ganho maior é necessário mais voltas de fio na bobina, o problema é que isto resulta em uma resposta de frequência um pouco mais fechada, mais grave.

E quando se usa menos fio na bobina o equilíbrio das frequências melhora mais o ganho cai.

Um fato indiscutível é que pelo fato de termos no mercado uma variedade muito maior de captadores passivos do que de captadores ativos será sempre mais fácil achar algo no mundo dos passivos que agrade e que cumpra o papel de um bom captador.

Veredicto

A verdade é que não importa se você é da escola do captador passivo ou ativo, do vintage ou moderno, da válvula ou do transistor, do analógico ou digital, o que mais vale nesta hora é encontrar a ferramenta certa para o trabalho.

Existem ótimos captadores ativos assim como péssimos captadores passivos e vice e versa.

Então escolha sempre a melhor ferramenta para o momento e para o trabalho, pois quando o assunto é captador existe a grande probabilidade de você nunca estar satisfeito com um modelo de captador só seja ela ativo ou passivo.

Compartilhe este artigo!