Salve, camaradagem! Supimpa? Hoje temos como protagonista da história a guita do Pedro, um carioca muito louco do ninjutsu. Aconteceu um dia que ele, do nada, surgiu meio assim:

Pedro: Então, eu quero uma guitarra.
Loud: Opa, legal cara! Como vai ser?
Pedro: Não sei ainda. Passa a conta de vocês.
Loud: Err… ok…. Aí vai *********.
Pedro: Obrigado. Depois nos falamos.

Terminou que, no dia seguinte, o pagamento estava efetuado. Até aí, lindo… Problema é que não fazíamos idéia de quem era o cara, como queria a guitarra e para quando seria. A única informação corrente foi o acréscimo de uma sétima corda nesse esquema todo.

Prontamente, começamos a desenhar a guita do cara. Ok, o clima era meio bolado, mas o trampo devia seguir. E seguiu. Seguiu. De repente, parou. A gente se tocou que o cara estava desaparecido há mais de dois meses.

Rolou enfim uma sensação de ter ganhado na raspadinha quando, coincidentemente, Pedro deu as caras! E finalmente a guitarra saiu:

Prontamente, começamos a desenhar a guita do cara. Ok, o clima era meio bolado, mas o trampo devia seguir. E seguiu. Seguiu.

De repente, parou. A gente se tocou que o cara estava desaparecido há mais de dois meses. Rolou enfim uma sensação de ter ganhado na raspadinha quando, coincidentemente, Pedro deu as caras! E finalmente a guitarra saiu:

Prontamente, começamos a desenhar a guita do cara. Ok, o clima era meio bolado, mas o trampo devia seguir. E seguiu. Seguiu. De repente, parou. A gente se tocou que o cara estava desaparecido há mais de dois meses. Rolou enfim uma sensação de ter ganhado na raspadinha quando, coincidentemente, Pedro deu as caras! E finalmente a guitarra saiu:

De repente, parou. A gente se tocou que o cara estava desaparecido há mais de dois meses. Rolou enfim uma sensação de ter ganhado na raspadinha quando, coincidentemente, Pedro deu as caras! E finalmente a guitarra saiu:

Prontamente, começamos a desenhar a guita do cara. Ok, o clima era meio bolado, mas o trampo devia seguir. E seguiu. Seguiu. De repente, parou.

A gente se tocou que o cara estava desaparecido há mais de dois meses. Rolou enfim uma sensação de ter ganhado na raspadinha quando, coincidentemente, Pedro deu as caras! E finalmente a guitarra saiu:

Prontamente, começamos a desenhar a guita do cara. Ok, o clima era meio bolado, mas o trampo devia seguir. E seguiu. Seguiu.

De repente, parou. A gente se tocou que o cara estava desaparecido há mais de dois meses. Rolou enfim uma sensação de ter ganhado na raspadinha quando, coincidentemente, Pedro deu as caras! E finalmente a guitarra saiu:

Custom 7 cordas. Kriptonita, a inimiga do Supermam

Custom 7 cordas
Pedro’s custom axe – Especificações:
-Corpo em marupá com top em curly maple
-Braço em maple e escala em jacarandá
-Hardware: Tarraxas Gotoh, ponte estilo Floyd Rose e captadores EMG 707
-Regulada para riffar o mais puro metal torto pesadão.


Imagem fetal.

Custom 7 cordas
Got radius?

Custom 7 cordas
Got curly?

Custom 7 cordas
Experimentando acessórios.

Custom 7 cordas
Nessa altura do campeonato, o Pedro ainda estava foragido!

Custom 7 cordas
Yin +……

Custom 7 cordas
……Yang =…….

Custom 7 cordas
……= Loud Luthieria!

Custom 7 cordas
Chovia quando queríamos fazer uma sessão de fotos ao ar livre. Então improvisamos um estúdio na oficina com a ajuda do Motorchicken.

Custom 7 cordas
Motorchicken gosta!

Custom 7 cordas
Após temporal e alagamento, rolou um sol! Pudemos capturar um balde de kriptonita nessa guita.

Custom 7 cordas
Tenha medo, Superman!

Custom 7 cordas
Foto da nuca. Sete é um bom número.

Custom 7 cordas
Para o alto… E avante! (que ironia)


E esta foi a epopéia carioca…. Como sempre, um grande prazer de realização! Esperamos que o Pedro esteja tocando bastante Porcupine Tree e músicas estranhas com essa guita, pois ela pede. Um abraço!