Espécies de madeira.

[one_half padding=”3px 3px 3px 3px”]

Fala gente, bele?

Falando do assunto do post passado, madeiras para instrumentos musicais, hoje falaremos sobre algumas características de espécies.

[/one_half]

[one_half_last padding=”3px 3px 3px 3px”]

[/one_half_last]

Todos que tem um pouco mais de intimidade com como é produzido um instrumento musical sade que o material no qual ele é confeccionado é responsável por parte do timbre do instrumento.

Levando isto em consideração temos alguma definições:

A primeira delas é a densidade da madeira, o quão dura ou mole é a peça de madeira.

Na escolha de madeira ou madeiras para instrumentos musicais temos que pensar neste aspecto pois ele ira comandar a resistência mecânica da parte que será utilizada tal especie de madeira tal qual ira nos dizer se o instrumento será mais agudo, grave ou médio.

Algumas espécies de madeiras para instrumento musical apresentam mais de uma densidade, dependendo de qual lugar do planeta ela nasceu.

Por este motivo é ligeiramente errado dizer que esta ou aquela madeira tem som grave ou agudo apenas, pois isto pode variar.

Ou por muitas vezes dizem que esta ou aquela madeira de baixa densidade é perfeita para o braço de um instrumento, mas esquecem que o braço do instrumento é a região que mais sofre com a tensão das cordas, e logo uma madeira mole sofrerá muito mais.

Mais qual madeira é a certa para instrumentos musicais

Aqui não se trata de certo ou errado, mais sim do que funciona ou não para o resultado almejado.

Se você quer um instrumento que tenho grave presente em seu timbre não adianta pensar em madeiras apenas com som agudo.
Para se aproximar do resultado temos que levar as madeiras ou a combinação das espécies de madeira em consideração.

O fator determinante para tal ocorrência é a densidade. Madeiras com mais densidade tem melhor resistência mecânica e por isso são mais usadas em regiões do instrumento onde esta necessidade será mais exigida, como por exemplo na confecção do braço de um instrumento.

Em contra partida estas espécies de madeira normalmente apresenta timbre mais aberto, mais cristalino, e por que não dizer mais agudo.

O contrario também é totalmente válido. Espécies de madeira com menor densidade apresentam pior resistência mecânica e consequentemente som mais fechado, velado, ou seja, grave.

Então ante a esta escolha fica o problema:

Escolher o que vai ter o som esperado ou o que vai funcionar mecanicamente?

Normalmente primamos pelo meio termo, escolher combinação de espécies de madeira que trabalhem bem em um pouco de cada aspecto.

Aqui segue uma pequena parcela das espécies de madeira que são comumente usadas na confecção de instrumentos musicais.

 

[one_half padding=”3px 3px 3px 3px”]

Espécies de madeira

Cedro Rosa

[/one_half]

[one_half_last padding=”3px 3px 3px 3px”]

Cedro rosa

Nome Popular: Cedro Rosa, Cedro, Cedro Vermelho, cedro branco, cedro batata, cedro amarelo.

Nome Científico: Cedrela SP.

Densidade: 0,46 g/cm³

[/one_half_last]

Características: Madeira rosada, leve, fácil de trabalhar.

Em instrumentos musicais, é utilizada para corpos de guitarras e baixos, tampos e braços de instrumentos acústicos em geral, fundo e lateral de violão.

É pouco compacta e ressonante, tem média granulação, timbre médio-grave, indicado como bom substituto do mogno.

Indicações: Guitarra: Corpo / Baixo: Corpo / Violão: Fundo, Laterais, Tampo e Braço

[one_half padding=”3px 3px 3px 3px”]

Espécies de madeira

Freijó

[/one_half]

[one_half_last padding=”3px 3px 3px 3px”]

Freijó 

Nome popular: Freijó, Claraíba, Claraíba-do-pará, Cordia-preta, Freijó, Freijó-branco, Freijó-cinza, Freijó-preto, Freijó-rajado, Frei-jorge, Freijó-verdadeiro, Frejó, Louro, Louro-amarelo, Louro-freijó, Louro-preto-do-espírito-santo.

Nome científico: Cordia goeldiana

Densidade: 0,58 g/cm³

[/one_half_last]

Características: Madeira moderadamente pesada, de cor castanho-claro-amarelado apresenta desenho característico, média granulação, um pouco mais densa que o cedro, tem brilho e é boa de trabalhar.

É bastante utilizada por luthiers do Brasil,  possui um bom timbre médio, em peças mais duras e médio-grave em peças mais moles.

É utilizada como substituta do ash, por possuir um timbre similar. Em violões, sua sonoridade e características físicas são similares as dos abetos mais densos, e possui um brilho muito bonito.

Indicações: Guitarra: Corpo e braço / Baixo: Corpo / Violão: Fundo, Laterais, Tampo e Braço

Esta gostando? Assine o blog!

Junte-se a 4 outros assinantes

[one_half padding=”3px 3px 3px 3px”]

Espécies de madeira

Marfim

[/one_half]

[one_half_last padding=”3px 3px 3px 3px”]

Pau Marfim

Nome popular: guatambu, farinha-seca, marfim, pau-liso

Nome científico: Balfourodendron riedelianum

Nome estrangeiro:  ivorywood, brazilian ivorywood

Densidade: 0,84 g/cm³

[/one_half_last]

Características: Madeira pesada de cor dourada clara. Sua densidade é boa e similar à dos jacarandás, apresenta diversos tipos de figuras e pode ter a grã reta ou ondulada (similar ao flamed maple).

Tem boa estabilidade quando bem seca. Tem um bom som, porém com mesmo sustentação e tende mais aos agudos. Ótima substituição ao maple.

Indicações: Guitarra: braço e escala/ Baixo: braço e escala/ Violão: fundo, laterais.

[one_half padding=”3px 3px 3px 3px”]

Espécies de madeira

Marupá

[/one_half]

[one_half_last padding=”3px 3px 3px 3px”]

Marupá

Nome Popular: Marupá, caixeta, marupaúba, Aruba, Paraíba, simaruba.

Nome Científico: Simarouba Amara.

Densidade: 0,44 g/cm³

[/one_half_last]

Características: Madeira de baixa granulação, clara leve e ressonante, baixa densidade, sem veios aparentes, timbre bem articulado com bom agudos e graves bem balanceados, e também possui uma ótima velocidade do som.

É indicada para corpos de guitarra, especialmente strato que pode ter um timbre e peso de uma guitarra vintage. Também é utilizada em tampos de violão.

Indicações: Guitarra: Corpo / Baixo: Corpo / Violão: Tampo

[one_half padding=”3px 3px 3px 3px”]

Espécies de madeira

Mogno

[/one_half]

[one_half_last padding=”3px 3px 3px 3px”]

Mogno

Nome popular: Mogno, aguano, mogno-brasileiro, araputanga.

Nome Cientifico: Swietenia Macrophylla.

Também conhecido como:  Mahogany

Densidade: 0,63 g/cm³

[/one_half_last]

Características: Madeira muito usada no mundo da música. É moderadamente pesada, com densidade média tradicionalmente mas pode ser encontrada em outras densidades, boa granulação, muito estável e timbre que favorece o médio-grave, nas densidades mais baixas. É boa de se trabalhar e o seu aspecto é avermelhado e muito bonito.

Indicações: Guitarra: Corpo e braço / Baixo: Corpo e braço / Violão: Fundo/ Laterais/ Braço

[one_half padding=”3px 3px 3px 3px”]

Espécies de madeira

Pau-ferro

[/one_half]

[one_half_last padding=”3px 3px 3px 3px”]

Pau-ferro

Nome popular: pau-ferro, caviúna, jacarandá-ferro, caviúna-vermelha, morado

Nome científico: Machaerium scleroxylon

Nome estrangeiro: morado

Densidade: 0,88 g/cm³

[/one_half_last]

Características: Esta madeira tem um aspecto parecido com o do Jacarandá Indiano. Madeira dura e resistente, possui desenhos e coloração variados. Usada geralmente para fundos e laterais e escalas, ficou mais conhecida pelo uso em laminados como folha decorativa.

Produz instrumentos de boa sonoridade, com um timbre mais brilhante que o jacarandá, com excelente sustain e bom acabamento.

Indicações: Guitarra: braço e escala/ Baixo: braço e escala/ Violão: fundo, laterais e cavalete

[one_half padding=”3px 3px 3px 3px”]

Lógico que estas não são todas as espécies possíveis, afinal neste quesito vai existe melhor ou pior.

No próximos post colocaremos mais espécies de madeira então fica ligado!

Por hora é isto ai.

[/one_half]

[one_half_last padding=”3px 3px 3px 3px”]

[/one_half_last]

 

Gostou do post? Não quer perder a próxima parte? Assine o blog!
[ninja-inline id=3091]